Olhos nos olhos: Capitu e Conceição, mulheres machadianas em tradução para o espanhol

Juliana Aparecida Gimenes

Resumo


RESUMO: O objetivo deste artigo é apresentar uma proposta de leitura sobre a caracterização de duas personagens femininas de Machado de Assis traduzidas para o espanhol: Capitu, no romance Dom Casmurro, e Conceição, no conto Missa do Galo. A escolha dessas personagens revela um modo singular de entrar no texto machadiano: uma entrada guiada pelo enigma e pela insinuação. As análises e o cotejo das obras com foco nessas personagens têm como guias o conceito de reescrita de Lefevere (2007) e o de reimaginação de Haroldo de Campos (1979).

Palavras-chave


Capitu; Conceição; tradução; espanhol; reescrita

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, Machado de. [1899] Dom Casmurro. Apresentação de Paulo Franchetti e notas de Leila Guenther. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2008.

______. Don Casmurro. Tradução de Pablo del Barco. Madrid: Cátedra, 1991.

______. Machado de Assis: conto. Organizado por Eugênio Gomes. 9° ed, Rio de Janeiro: Agir, 1997.

______. Misa de Gallo y otros cuentos. Tradução de Elkin Obregón. Barcelona, Bogotá, Caracas, México, Miami, Panamá, Quito, San Juan, Santiago: Editorial Norma, 1990.

CAMPOS, Haroldo de. A quadratura do círculo. In: A arte no horizonte do provável. São Paulo: Perspectiva, 1979. p. 121-128.

______. Qohélet. O que se sabe: Eclesiastes: poema sapiencial. Colaboração de J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 1991.

CARDELLINO, Pablo. Traducciones de Machado de Assis al Español. In. GUERINI, A. et al. (Orgs.). Machado de Assis: tradutor e traduzido. Florianópolis: Ed. Copiart, 2012, p. 129-159.

CARNEIRO, Fernanda Sampaio. Pablo del Barco: o maior tradutor de literatura brasileria na Espanha. Revista Bazil com Z (on-line), n° 99, jan/2016, p. 49-51. Disponível em: http://www.revistabrazilcomz.com/revizta-digital/espanha/. Acesso em: 27 fev. 2018.

CALDWELL, Hellen. O Otelo brasileiro de Machado de Assis: um estudo de Dom Casmurro. Tradução de Fábio Fonseca de Melo. Cotia: Ateliê Editorial, 2002.

DERRIDA, Jacques. O que é uma tradução “relevante”? Tradução de Olívia Niemeyer. Alfa: Revista de Linguística, Especial: Tradução, desconstrução e pós-modernidade, v. 44, p. 13-44, 2000. Disponível em: http://seer.fclar.unesp.br/alfa/article/view/4277/3866. Acesso em: 27 fev. 2018.

DICIONÁRIO Priberam da Língua Portuguesa [on-line]. Entrada “pisa-mansinho”. Disponível em: https://www.priberam.pt/dlpo/pisa-mansinho. Acesso em: 18 abr. 2018.

DOMÍNGUEZ, Carlos Espinosa. Andanzas póstumas: Machado de Assis en español. Caracol, n°1, p. 64-85, 2010.

ESTEVES, Lenita Maria Rimoli. A presença da literatura brasileira no exterior e a importância do agenciamento: uma análise guiada por conceitos da sociologia de Pierre Bourdieu. O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Belo Horizonte, v. 25, n° 1, p. 9-36, 2016a. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/o_eixo_ea_roda/article/view/10189/9667. Acesso em: 27 fev. 2018.

______. Uma discussão sobre a prática da retradução com base no caso das republicações de obras de Clarice Lispector no exterior. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, v. 55, n° 3, p. 651-676, 2016b. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-

&lng=en&nrm=isso. Acesso em: 27 fev. 2018.

GIMENES, Juliana Aparecida. “Você já reparou nos olhos dela?” – Metáforas do olhar em duas traduções de Dom Casmurro para o espanhol. 114f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada: Tradução) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, 2017.

GLEDSON, John. Machado de Assis: impostura e realismo: uma reinterpretação de Dom Casmurro. Tradução de Fernando Py. São Paulo: Companhia da Letras, 1991.

GUIMARÃES, Hélio Seixas. Uma vocação em busca de línguas: as (não) traduções de Machado de Assis. In. GUERINI, A. et al. (Orgs.). Machado de Assis: tradutor e traduzido. Florianópolis: Ed. Copiart, 2012, p. 35-43.

HUNT, Lynn. A invenção dos direitos humanos: uma história. Tradução de Rosaura Eichenberg. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

LEFEVERE, André. Tradução, reescrita e manipulação da fama literária. Tradução de Claudia Matos Seligmann. Bauru, SP: Edusc, 2007.

MOISÉS, Massaud. A retórica da sedução em “Missa do Galo”. Revista Brasileira, ano X, n° 38, p. 51-83, 2004. Disponível em: http://www.academia.org.br/sites/default/files/publicacoes/arquivos/revista-brasileira-38.pdf. Acesso em: 20 fev. 2018.

PIÑÓN, Nélida. La génesis de la literatura brasileña: de Machado de Assis a la urbe. El País [on-line], 2013. Disponível em: https://elpais.com/cultura/2013/10/08/actualidad/1381232190_546687.html. Acesso em: 01 fev. 2018.

ROCCA, Pablo. Machado de Assis, escritor do Rio da Prata: duas hipóteses contraditórias. Cadernos de Letras da UFF, Dossiê: Diálogos Interamericanos, n° 38, p. 35-49, 2009.

RONCARI, Luiz. Ficção e história: o espelho transparente de Machado de Assis [ensaio]. Teresa: Revista de Literatura Brasileira, n°1, p. 139-154, 2000. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/teresa/article/view/121086/118073. Acesso em: 14 abr. 2018.

______. Machado de Assis: o aprendizado do escritor e o esclarecimento de Mariana. Revista Brasileira de História, v. 25, n° 50, p. 241-258, 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbh/v25n50/28280.pdf. Acesso em: 27 fev. 2018.

VILLAÇA, Alcides. Machado de Assis, tradutor de si mesmo. Novos Estudos, n° 51, p. 3-14, 1998. Disponível em: http://novosestudos.uol.com.br/produto/edicao-51/. Acesso em: 14 abr. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores: LivRe, REDIB, Latindex, EBSCO, Diadorim 

     

 Diadorim