Tradução como procedimento intertextual: a recriação de Leminski do Satyricon, de Petrônio

Lívia Mendes Pereira

Resumo


RESUMO: O presente trabalho destaca algumas características da tradução do Satyricon, de Petrônio, realizada pelo poeta Paulo Leminski. Nossa análise se dará por meio da interlocução entre a teoria intertextual e as próprias concepções instauradas pelo poeta sobre tradução. Destacaremos as similaridades entre as teorias mencionadas, as quais refletem o fazer tradutório, neste caso, o texto latino de partida e sua reinvenção em língua portuguesa, por meio da tradução no texto de chegada, destacando trechos que revelam a apropriação do texto latino.

Palavras-chave: Satyricon; Paulo Leminski; tradução criativa; intertextualidade.


ABSTRACT: The present article highlights some aspects of the Petronius’ Satyricon translation, performed by the poet Paulo Leminski. Our analysis will focus on the dialogue between the intertextual theory and the conceptions established by the poet about translation. We will accentuate the similarities between the aforementioned theories, that reflect the translation work, in this case, includes the Latin source text and its reinvention in Portuguese, by the translation in the target text, emphasizing passages that reveal the appropriation of the Latin text.

Keywords: Satyricon; Paulo Leminski; creative translation; intertextuality.


Palavras-chave


Satyricon; Paulo Leminski; tradução criativa; intertextualidade

Texto completo:

PDF

Referências


ABATE, F. The Oxford Dictionary and Thesaurus. New York: Oxford University Press, 1996.

AULETE, C. Aulete digital – Dicionário contemporâneo da língua portuguesa. Dicionário Caldas Aulete, Lexikon, 2007. Acessado em 10 de julho de 2016. Disponível em: http://www.auletedigital.com.br.

BAILLY. A. Dictionnaire Grec-Français. Paris: Hachette, 2000.

BARCHIESI, A.; CONTE, G. B. Imitazione e Arte Allusiva. Modi e Funzionedell’Itertestualità. In: CAVALLO, G. et alii (direttori). Lo Spazio Letterariodi Roma Antica. Roma: Salerno, 1989.

CAMPOS, A. Verso, reverso, controverso. São Paulo: Perspectiva, 1978.

CAMPOS, H. A arte no horizonte do provável. São Paulo: Perspectiva, 1977.

_____. “Uma Leminskíada Barrocodélica”. Metalinguagem e outras metas. São Paulo: Perspectiva, 2010, p. 213-220.

CARMIGNANI, M. El Satyricon de Petronio: tradición literária e intertextualidade. Córdoba: Universidad Nacional de Córdoba, 2011.

CONTE, G. B. Memoria dei poeti e sistema litterario: Cattulo, Virgilio, Ovidio, Lucano. Palermo: Sellerio, 2012.

FOWLER, D. On the shoulders of giants: intertextuality and classical studies, in: Roman constructions. Readings in postmodern Latin. Oxford: Oxford University, 2000.

GLARE, p. G. W. Oxford Latin Dictionary. London: Oxford University Press, 1968.

LEMINSKI, p. Distraídos venceremos. São Paulo: Brasiliense, 1993

_____. Ensaios e Anseios Crípticos. Campinas: Editora Unicamp, 2011

_____. Cenas de vanguarda explícita. Folha de São Paulo, São Paulo, 04 dez. 1985. Ilustrada. p. 44.

_____. O crepúsculo dos críticos. Folha de São Paulo, São Paulo, 27 abr. 1985A. Ilustrada. p. 36.

_____. Latim com gosto de vinho tinto. In: PETRÔNIO. Satyricon. Trad. de Paulo Leminski. São Paulo: Brasiliense, 1985.

_____; BONVICINO, R. Envie meu dicionário: cartas e alguma crítica. São Paulo: Ed. 34, 1999.

LIDELL, H. G. SCOTT, R. A Greek-English lexicon. Oxford: Clarendon Press, 1996.

MELO, T. M. de. Tradução da Tradição: anotações sobre os motores da poesia de Paulo Leminski. Kamiquase, 1998. Disponível em: http://www.elsonfroes.com.br/kamiquase/ ensaio2.htm. Acesso em: 5 ago 2016.

MORENO, S. Ecos e Reflexos: A construção do Cânone de Augusto e Haroldo de Campos a partir de suas concepções de tradução. Campinas: Tese (Doutorado em Linguística Aplicada). Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, 2001.

PÉTRONE. Le satiricon. Trad. de Maurice Rat. Paris: Garnier, 1948.

_____. Le Satiricon. Ed. A. Ernout. Paris: Les Belles Lettres, 1974.

PETRÔNIO. Satyricon. Trad. de Paulo Leminski. São Paulo: Brasiliense, 1985.

_____. Satyricon. Trad. de Sandra M. G. Braga Bianchet. Belo Horizonte: Crisálida, 2004.

_____. Satíricon. Tradução e posfácio: Cláudio Aquati. São Paulo: Cosac Naify, 2008.

SANTANA, I. J. Paulo Leminski: Intersemiose e Carnavalização na tradução. São Paulo: (Dissertação de Mestrado em Estudos da Tradução). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2002.

SARAIVA, F. R. S. Novíssimo dicionário latino-português. Belo Horizonte; Rio de Janeiro: Livraria Garnier, 2006.

VACONCELLOS, p. S. de. Efeitos intertextuais na Eneida de Virgílio. São Paulo: Humanitas, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rónai está cadastrada nos seguintes indexadores: DiadorimLivReLatindexEBSCOREDIBMLA