A Arte Poética de Horácio e sua tradução e recepção no Arcadismo Português: Marquesa de Alorna

Joana Junqueira Borges

Resumo


Com a intenção de entrar em contato com traduções precedentes do legado greco-latino para a língua portuguesa e explorar questões referentes ao contexto de recepção, apresenta-se no presente artigo algumas especificidades da tradução da Arte Poética de Horácio realizada por D. Leonor de Almeida, também conhecida como Marquesa de Alorna, publicada em 1812. Atenta-se especialmente para a literatura desse período, que primava pelos preceitos defendidos por Horácio, como a brevidade e a clareza e para como essa tradução reflete a poética da época.

Palavras-chave: horácio; arte poética; marquesa de alorna; arcadismo; tradução.


The Art of Poetry by Horace and its translation and reception in Portuguese Arcadianism: Marquesa de Alorna

Abstract: Intending to be in touch with previous translations from the Greek and Latin legacy for the Portuguese language and exploring issues related to the context of reception, this article presents some specificities in the translation of the The Art of Poetry by Horace, performed by D. Leonor de Almeida, also known as Marquise of Alorna, published in 1812. Paying special attention for the literature of this period, which emphasizes the precepts defended by Horace, as brevity and clarity, and how this translation reflects the poetry of this age.

Keywords: Horace; The Art of Poetry; Marquise of Alorna; arcadianism; translation



Palavras-chave


horácio; arte poética; marquesa de alorna; arcadismo; tradução

Texto completo:

PDF

Referências


ALORNA, M. de. Poetica de Horatio, e o Ensaio sobre a critica, de Alexandre Pope em portuguez. Londres: T. Harper, Jun. Crane Court, Fleet Street, 1812.

______, M. de. Sonetos. Introdução, organização, fixação do texto, notas e bibliografia de ANASTÁCIO, V. Rio de Janeiro: 7Letras, 2007.

BERMAN, A. A prova do estrangeiro. Trad. M. E. P. Chanut. Bauru, SP: EDUSC, 2002.

______. A tradução e a letra ou o albergue do longínquo. Rio de Janeito: 7Letras/ PGET, 2007.

BRAGA, T. História da Literatura portuguesa - Os Árcades. v.4. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1984.

BRINK, C. O. Horace on poetry: the Ars Poetica. Cambridge: University Press, 2011.

BURKE, P. Culturas da tradução nos primórdios da Europa Moderna. In; ______;

HSIA, R. P. A tradução cultural nos primórdios da Europa Moderna Trad. R. Maioli dos Santos. São Paulo: Editora Unesp, 2009. p.13-44.

CAMÕES, L. de. Os Lusíadas. Notas e prefácio de MOURA, C. L. de. Paris: Firmin Didot, 1859.

CAMPOS, H. Reflexões sobre a transcriação de Blanco, de Octávio Paz, com um excurso sobre a teoria da tradução do poeta mexicano. In: ______. Transblanco. São

Paulo: Siciliano, 1994.

CASTILHO, A. F. Arte de amar de Publio Ovidio Nasão. Tradução de A. F. de Castilho seguidas de comentários de J. F. de Castilho. Rio de Janeiro: Laemmert, 1862. 3 Tomos.

CIDADE, H. Lições de Cultura e Literatura Portuguesas. v.2. Coimbra: Coimbra Editora, Limitada, 1959.

ELISIO, F. (Francisco Manuel do Nascimento). Obras Completas de Filinto Elísio. Prefácio, introdução, fixação do texto e notas: Fernando Alberto Torres Moreira. Braga:

APPACDM, 1998.

FERNANDES, R. M. R. Prefácio e Introdução. In: HORÁCIO. Arte Poética. Introdução, tradução e comentários de R. M. Rosado Fernandes. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2012.

FREIRE, F. J. Arte Poetica ou regras da verdadeira poesia em geral, e de todas as suas especies principaes, tratadas com juizo critico. Lisboa: Oficina Patriarcal de Francisco Luiz Ameno, 1759.

FURLAN, M. A tradução em Roma - A suplantação do modelo. In: Nuntius Antiquus. n.6, 2010.

GARÇÃO, C. Obras completas. Org. SARAIVA, A. J. Lisboa: Livraria Sá da Costa, 1982.

HERCULANO, A. D. Leonor d’Almeida, Marqueza de Alorna. In: O Panorama. v.3º, série 2ª, nº156, 21/12/1844. Lisboa: Typographia da Sociedade, 1844, p.403-404.

HORACIO. Arte poetica de Q. Horacio Flacco traduzida e illustrada em portugues por Candido Lusitano. Lisboa: Officina Rollandiana, 1778.

LUCANO. Farsália: cantos de I a V. Introd. tradução e notas: VIEIRA, B. V. G. Campinas: Editora da Unicamp, 2011.

MORAES, A. S. Dicionário da Língua Portuguesa. Lisboa: Tip. A. J. da Rocha, 2.volumes, 1844.

PAES, J. P. Tradução a ponte necessária, aspectos e problemas da arte de traduzir. São Paulo: Ed. Ática, 1990.

PINILLA, J. S. “La marquesa de Alorna y la traducción: esbozo de una investigación histórica”. In: PEGENAUTE, L.; DeCESARIS, J.; TRICÁS, M. y BERNAL, E. Actas del III Congresso Internacional de la Asociación Ibérica de Estudios de Traducción e Interpretación. La traducción del futuro: mediación linguistica y cultural en el siglo XXI. Barcelona 22-24 de marzo de 2007. Barcelona: PPU. Vol.nº1, pp. 307-318. Disponível em

RESENDE, M de. Nota vigésima sexta. In: CASTIKHO, A. F.. Os Fastos de Públio Ovídio Nasão. Lisboa: Academia Real das Ciências, 1862.

ROCHA, T. K. Ensaios e experiências de tradução da Ilíada no oitocentismo português. 2013, 576 f. (Iniciação Científica - Fapesp) Universidade de São Paulo,

SARAIVA, F. R. S. Novíssimo dicionário latino-português. Belo Horizonte; Rio de Janeiro: Livraria Garnier, 2000.

SCHLEIERMACHER, F. Sobre los diferentes métodos de traducir. Trad. Valentín Garcia Yebra. Madrid: Editora Gredos, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rónai está cadastrada nos seguintes indexadores: DiadorimLivReLatindexEBSCOREDIBMLA