Entre a ira e a clemência: ambiguidades de Augusto nos Tristia de Ovídio

Júlia Batista Castilho de Avellar

Resumo


Este trabalho investiga a figura de Augusto em algumas elegias dos Tristia de Ovídio, com base na identificação de ambiguidades em sua imagem. Pretende-se analisar até que ponto tais ambiguidades revelam relações também ambíguas entre o eu-poético e o imperador – por um lado, adulação e elogio, por outro, uma crítica irônica – e como isso se associa a uma espécie de retorização da literatura, discutida por Tácito no Dialogus de oratoribus. Para tal, serão abordados dois aspectos da representação de Augusto na obra: sua assimilação a Júpiter e os elementos de Roma apresentados como símbolos do imperador.

 

Palavras-chave: Augusto; Tristia; Ovídio; Dialogus de oratoribus; ambivalência.


Palavras-chave


Augusto; Tristia; Ovídio; Dialogus de oratoribus; ambivalência

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTO, P. F. Espaço urbano e poesia: Tristia 3,1 na Roma de Augusto. In: PIMENTEL, M. C. S. & RODRIGUES, N. S. (coord.). Sociedade, poder e cultura no tempo de Ovídio. Coimbra: Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos da Universidade de Coimbra, 2010. p. 117-131.

ANDRÉ, J. Introduction. In: OVIDE. Tristes. Texte établi et traduit par Jacques André.Paris: Les Belles Lettres, 2008 [1968]. p. VII-LII.

BARCHIESI, A. The poet and the prince: Ovid and Augustan discourse. Trans. Regents of the University of California. Berkeley, Los Angeles and London: University of California Press, 1997.

CARRARA, D. P. In non credendos modos: recursos retóricos e dissimulação no Livro II dos Tristia. 93f. Dissertação (Mestrado em Estudos Literários) – Programa de PósGraduação em Estudos Literários, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2005.

DIMUNDO, R. I luoghi della cattura d’amore: a spasso con Ovidio tra portici, teatri e fori romani. In: PIMENTEL, C.; BRANDÃO, J. L.; FEDELI, P. (coord.). O poeta e a cidade no mundo romano. Coimbra: Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos da Universidade de Coimbra, 2012. p. 83-103.

GALE, M. R. Virgil on the nature of things: the “Georgics”, Lucretius and the didactic tradition. Cambridge: Cambridge University Press, 2000.

GOELZER, H. Notice. In: TACITE. Dialogue des orateurs. Texte établi par Henri Goelzer et traduit par Henri Bornecque. Paris: Les Belles Lettres, 1960. p. 3-21.

LABATE, M. L’arte di farsi amare. Modelli culturali e progetto didascalico nell’elegia ovidiana. Pisa: Giardini Editori, 1984.

LENAZ, L. Introduzione. In: TÁCITO. Dialogo sull’Oratoria. Introduzione e commento di Luciano Lenaz, traduzione di Felice Dessì. Milano: BUR, 1996. p. 5-29.

OVIDE. L'art d'aimer. Texte établi et traduit par H. Bornecque. Paris: Les Belles Lettres, 1951.

OVIDE. Tristes. Texte établi et traduit par J. André. Paris: Les Belles Lettres, 2008.

PRATA, P. Tristes II de Ovídio: um pedido a Augusto. Aisthe: Revista de Estética, Rio de Janeiro, v. 3, n. 4, p. 38-53, 2009.

PRATA, P. O caráter intertextual dos Tristes: uma leitura dos elementos épicos virgilianos. 421f. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2007.

SUETÔNIO & AUGUSTO. A vida e os feitos do divino Augusto. Trad. de Matheus Trevizam, Paulo Sérgio Vasconcellos, Antônio Martinez de Rezende. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.

TÁCITO. Diálogo dos oradores. Trad. de Antônio Martinez de Rezende e Júlia Batista Castilho de Avellar. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2014.

VIDEAU-DELIBES, A. Les Tristes d’Ovide et l’élégie romaine: une poétique de la rupture. Paris: Klincksieck, 1991.

VIRGÍLIO. Geórgicas I. Organização e tradução de Matheus Trevizam. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

VIRGILE. Géorgiques. Texte établi et traduit par Saint-Denis. Paris: Les Belles Lettres, 1956.

VOLK, K. Ovid. West Sussex: Wiley-Blackwell, 2010.

WILLIAMS, G. Banished voices: readings in Ovid’s exile poetry. Cambridge: University Press, 2007.

WHEELER, A. L. Introduction. In: OVID. Tristia & Ex Ponto. Translated by A. L. Wheeler. London and Cambridge: Loeb Classical Library, 1996 [1924]. p. VII-XXXVIII.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rónai está cadastrada nos seguintes indexadores: DiadorimLivReLatindexEBSCOREDIBMLA